Quem Somos

Coordenação

Elen Nas





Pesquisadores

Abel Reis

Doutorando em Filosofia pela PUC-SP com foco na área de Filosofia da Técnica e Filosofia aplicada aos Negócios. MSc. em Engenharia de Sistemas e Computação pela UFRJ com ênfase em Inteligência Artificial (Processamento de linguagem natural e Representação de conhecimento). Estudou Filosofia na UFRJ e Informática na PUC-RJ. 

Empreendedor por 25 anos na área de marketing digital. Sócio-fundador da LOGUN Ventures. Professor convidado da Fundação Dom Cabral na área de Tecnologia e Sociedade, e da PUC-RJ na área de Design de Produtos Digitais. 

Autor do livro ”Sociedade.com – como as tecnologias digitais afetam quem somos e como vivemos”, editado pela Arquipélago Editorial. Articulista da coluna Filosofia.com na revista EpocaNegócios.com.

https://epocanegocios.globo.com/colunas/Filosofiacom/

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-0343-4141


Bruno Henrique Simões Dantas

Acadêmico de Direito na Universidade da Amazônia-UNAMA e Antropologia na Universidade Federal do Oeste do Pará. Pesquisador do Laboratório de Política, Mídia e comportamento da Fundação São Paulo. Pesquisador do Núcleo de Ciências Ambientais da Ladus-Unama. Pesquisador vinculado ao Núcleo de Estudos interdisciplinares em Sociedades amazônicas-SACACA-UFOPA desenvolvendo trabalhos na área: Garimpos do tapajós. E da Iniciação científica da Unama, onde desenvolve pesquisa na área de Direitos da Natureza. Coordena a Diretoria de pesquisa e extensão da LADUS-STM. Membro das comissões de Direito ambiental, educação jurídica e Direitos Humanos da OAB-STM.


Elen Nas / Team Coordinator

PósDoc do Instituto de Estudos Avançados/USP, é Doutora em Bioética, Mestre em Design e Cientista Social com experiência profissional no campo das artes. Formou-se pelo programa interinstitucional PPGBIOS (Programa de Pós Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva) que reúne a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Pesquisa tecnologia e sociedade com ênfase em questões bioéticas contemporâneas tais como avaliação e debate de projetos de inteligência artificial e robótica. Foi pesquisadora visitante do Departamento de Filosofia da Monash University, onde participou dos seminários do Monash Bioethics Center, assim como encontros de neurocomputação e da pesquisa sobre robôs sociais. Pesquisadora visitante do Departamento de Informática da Universidade da California Irvine e da Escola de Arte, Tecnologia e Comunicações Emergentes da Universidade do Texas. Entre suas publicações estão dois livros que são versões das teses em Design e em Bioética.

Site: prem.li/elennas.


Fernanda Rodrigues

Coordenadora de Pesquisa e Pesquisadora no Instituto de Referência em Internet e Sociedade. É mestra pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), na linha de pesquisa Direitos na Sociedade em Rede. É graduada também pela UFSM e faz parte do Coletivo AqualtuneLab. Pesquisa na área de governança de IA, racismo algorítmico, reconhecimento facial e moderação de conteúdo.


Fernando Longhi

Arquiteto e Urbanista pela Universidade de Brasília – UnB com graduação sanduíche na Nottingham Trent University, Reino Unido. Foi bolsista pesquisador do Núcleo do Futuro da UnB e do Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade LACIS/UnB. Participou do Tokyo Innovation Summer Program na Universidade de Tóquio (TISP/i.school, 2015), no Japão, e tem experiência profissional internacional com colaborações em Nova Iorque e Paris. Atua como arquiteto e urbanista e é mestrando da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP, área de concentração Projeto, Espaço e Cultura, com a pesquisa “Atlas transverso: entre a cidade vigilante e o hiperterritório” sob a orientação da Profª. Drª. Giselle Beiguelman. É integrante do Grupo de Estudos dos Imaginários da Tecnologia (GEIST/RiTE/FAUUSP) e pesquisador da Cátedra Oscar Sala do Instituto de Estudos Avançados/USP. Pesquisa como as tecnologias de inteligência e a cultura digital afetam o ambiente construído da cidade contemporânea por meio da imagem.


Flávia Gabriel

Graduada em Direito pela PUC/SP, especialista em Direito Empresarial pela FGV/SP. Advogada de Direito Digital, Privacidade e Proteção de Dados e consultora de educação digital de crianças e adolescentes. Membro da Comissão de Privacidade e Proteção de Dados da OAB/SP. Pesquisadora do grupo Legalite PUC/Rio, com pesquisa sobre Blockchain e Identidade Digital. Pesquisadora do grupo CEDIS IDP Privacy Lab, projeto em parceria com Jusbrasil sobre a vigência e aplicação da LGPD nos tribunais. Candidata do Programa 2023 na linha de Direito e Tecnologia do Mestrado Profissional da FGV/SP. Integrante do GITEC, grupo de pesquisa da FGV/SP sobre os aspectos econômicos e sociais da tecnologia.


Leandro Modolo Paschoalotte

Sou Leandro Modolo Paschoalotte. Sou graduado em licenciatura (2010) e bacharelado (2011) em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Fui mestrando em Ciências Sociais na (UNESP-FCLAr) entre 2013-2014, desenvolvi pesquisa junto a Universidade de Lisboa entre 2016 e 2017 como bolsista da FAPESP/BEPE e defendi minha tese de doutorado (2018) em Ciências Sociais na UNESP-FCLAr também com o financiamento da FAPESP, sob a forma de bolsa de Doutorado Direto. Atualmente desenvolvo pesquisa em nível de doutorado junto à Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da UNICAMP na área de Saúde Coletiva, sob a orientação do Prof. Sérgio Resende Carvalho. E, neste momento, como sociólogo da saúde, minha pesquisa se dedica as atuais transformações tecnológicas na saúde com ênfase na transformação digital da vigilância em saúde do trabalhador e trabalhadora, sob a Co-orientação da Profa. Marcia Bandini. Sou membro do Núcleo de Estudos em Economia, Tecnologia e Sociedade (NETS) – UFC/CNPq e do Grupo Conexões (FCM/Unicamp), alem de compor pesquisa de cooperação entre FCM/Unicamp e Ministério Público do Trabalho (15º Regional) sobre saúde mental do trabalhador e trabalhadora. Ademais, componho o Projeto Interações Humano-Algoritmo Coordenado pelo Prof. Virgílio Almeida na Cátedra Oscar Sala do IEA- USP.


Luciana Terceiro / UX Designer

É user experience designer e pesquisadora. Trabalha no mercado há mais de 20 anos, tendo atuado em empresas como IBOPE, Universidade Anhembi Morumbi, UOL, PagSeguro, Dasa, e Zettle by PayPal. Possui bacharelado em Desenho de Moda pela Faculdade Santa Marcelina, especialização em Pesquisa de Mercado Aplicada em Comunicações pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e Mestrado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC SP, no programa Tecnologias da Inteligência e Design Digital (TIDD), onde pesquisou a colaboração criativa. Durante os anos de 2015 e 2017 manteve o Coletivo Mola (www.coletivomola.com.br), cujo objetivo era difundir práticas de design e inovação. Recentemente finalizou um mestrado em Antropologia Social pela Universidade de Estocolmo, onde pesquisou a adoção de práticas de acessibilidade digital em empresas de tecnologia. Atualmente também colabora com o Ladies that UX no capítulo de Estocolmo e é mentora no programa Google for Startups Accelerator, edição Europa.

Site: http://www.lu3.com.br

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8973-0226


João Furio Novaes

Graduado em Letras pela Universidade Católica de Petrópolis, atualmente está cursando o mestrado no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de São Paulo na linha de Semiótica e Linguística Geral. Sob orientação do professor Waldir Beividas, tem desenvolvido sua atividade de investigação sobre a natureza de diferentes tipos de texto no ciberespaço, que atualmente aprofunda em sua participação no grupo coordenado pelo professor Virgílio Almeida: Relações Humano – Algoritmo, da Cátedra Oscar Sala do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo.


Maria Aparecida Moura / Content Consultant

É doutora em Comunicação e Semiótica, documentarista e professora  de Ciência da Informação e  Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte – Brasil. Como documentarista, dedica-se às culturas populares e aos saberes tradicionais. É membro da Comissão Permanente de notório Saber da UFMG e do Colegiado de formação transversal em saberes tradicionais.

Professora titular da Universidade Federal de Minas Gerais e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 1D.

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993), mestrado em Educação pela mesma Universidade (1996), doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002) e Pós-doutorado em Semiótica Cognitiva e Novas Mídias pela Maison de Sciences de l’ Homme (2006-2007).  Realiza atualmente um doutorado na área da Sociologia  pela UFMG.

Atua  como docente nos Programas de pós-graduação em Comunicação e Ciência da Informação da UFMG e coordena o Laboratório de Culturas e Humanidades Digitais (LabCult/PPGCI/UFMG).


Maria do Val da Fonseca

Arquiteta e Urbanista pela Pontifícia Universidade do Paraná (2018). Mestre em Design e Cidades pela UFPR (2021) com foco no uso de dados digitais no planejamento urbano. Professora Adjunta (2022 – presente) no curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da Uniandrade. Especialista em Gestão Ambiental e projetos BIM. Possui aperfeiçoamento em Elaboração e Implementação de Políticas Públicas (2022). Pesquisadora bolsista pelo CNPQ no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (2017/2018) e PUCPR (2016/2017), (2015/2016).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0794103252306066 

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-7418-3995


Filipe Albuquerque Ito Russo

Filipe Russo é indígena agênere da Associação Multiétnica Wyka Kwara, natural do território ancestral de Manaós, residente no de Piratininga. Autore dos romances premiados Caro Jovem Adulto (2012; 2022) e Asfixia (2014). Conquistou prêmios de excelência acadêmica em Inteligência Artificial, Psicologia, Gamificação, Empatia e Computação Afetiva. Licenciade em Matemática pelo Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP). Especialista em Computação Aplicada à Educação pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP (ICMC-USP). Realizou aperfeiçoamento em Altas Habilidades ou Superdotação: Identificação e Atendimento Educacional Especializado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e em Serviço de Atendimento Educacional Especializado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Revisore no periódico científico Revista Neurodiversidade. Pesquisadore nos grupos Círculo Vigotskiano, TransObjeto associado à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e GFILL à Universidade Federal do Maranhão (UFMA).


Renata Frade / Communications

Membro da Cátedra Oscar Sala, do Instituto de Estudos Avançados da USP, desde 2021, Renata L. Frade desenvolve investigação doutoral, na Universidade de Aveiro (Portugal) sobre mulheres em tecnologia. Pesquisa financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Sua motivação por estudos no âmbito tecnológico teve maior ênfase há 11 anos, quando tornou-se empreendedora tecnológica e desenvolveu projetos móveis e web. Há 15 anos conheceu a teoria transmídia e foi aluna de seu principal teórico, Prof. Dr. Henry Jenkins, no M.I.T. (Massachussets Institute of Technology, nos Estados Unidos). Realizou um curso na Universidade de Stanford sobre futuro das tecnologias. Durante 2015 e 2017 foi ativista, palestrante e voluntária da ONG internacional de mulheres em tecnologia, fundada em San Francisco (EUA), Girls in Tech Brazil. Foi convidada a ser keynote speaker em simpósios tecnológicos, como do Gartner (maior empresa de pesquisa em Tecnologia no mundo), eventos feministas e para a sociedade (como o Festival Feminista do Porto 2019). Escreve artigos sobre tecnologia para veículos como MobileTime e Digitalks; atualmente é colaboradora mensal do Mídia Ninja (ColuNinja Tech). Presente como autora em 13 livros de ficção e não ficção de editoras brasileiras e internacionais como Unesp, Rocco, Springer, Patuá, Ria Editorial (Portugal), Livros LabCom.IFP (Univ. da Beira Interior, Portugal). Realizou cursos de UX pela California Institute of Arts e pela USP. Foi repórter de Ciência e Saúde para o InfoGlobo. Formada em Comunicação Social pela PUC-Rio (onde realizou cursos de computação nos laboratórios do Rio DataCentro), Mestre em Letras pela UERJ.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8367-5577
Site: https://linktr.ee/RenataFrade


Tania Cristina de Oliveira Valente

Graduação em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1981) Mestrado em Saúde Coletiva (1992) e Doutorado em Medicina – Concentração em Moléstias Infecciosas pela Faculdade de Ciências Médicas (1997); Pós-Doutorado no Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria; todos pela Universidade Estadual de Campinas (2012).

Pós-Doutorado na área de Antropologia da Ciência no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (2019).

Atualmente é Professora Associada III do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Biociências – nível Doutorado/UNIRIO. 

Líder do Laboratório Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Antropologia da Saúde (LIEPAS/UNIRIO), criado em 2006 e certificado junto ao CNPq. 

Linhas de Pesquisa: Inteligencia Artificial, saúde e transdisciplinaridade; Neurociências e qualidade de vida; Promoção da saúde na contemporaneidade e conexões transdisciplinares.


Telma Luiza de Azevedo / PR

Doutora em Artes pelo Programa Interunidades Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo, com tese sobre “net art”, explicitando múltiplas práticas provenientes de proposições estéticas no fluxo de rede como fonte de conhecimento e exemplos de contramovimentos, orientada pelo Profº Drº Ricardo Fabbrini, mestra em Ciências pela Universidade de São Paulo, EACH, com a pesquisa sobre interação em rede de computadores a partir de imagens digitais no contexto da cadeia de produção/consumo, orientada pelo Profº Drº Waldenyr Caldas. Compõe o Projeto Interações Humano-Algoritmo do Coordenador Virgílio Almeida na Cátedra Oscar Sala em 2022. Participou como membro-pesquisadora da Cátedra Oscar Sala no projeto: Novas condições da interdisciplinaridade em tempos de simbiose humano-tecnologias, de Lucia Santaella, titular em 2021. Em 2019, como pesquisadora doutoranda bolsista do projeto Democracia Artes e Saberes Plurais da Cátedra Olavo Setúbal do Instituto de Estudos Avançados, fez curadoria da produção acadêmica referente a contextos de populações periféricas, grupos invisibilizados e minorias na representação política para compor o sistema de busca e o web site oficial do projeto que visava integrar e disponibilizar as pesquisas científicas à comunidade. Formação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho – UNESP (2005). 

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-3720-6761


Colaboradores

Adriana Rocha Bruno

Adriana Rocha Bruno é Doutora em Educação: currículo pela PUC-SP, com pós-doutorado em Educação pelo IE da Universidade de Lisboa-PT. Professora Associada IV do Departamento de Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-UNIRIO. Membro do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIRIO, e colaboradora do PPGE da UFJF. Líder do Grupo de Pesquisa Aprendizagens em rede – GRUPAR. Pesquisadora Produtividade em Pesquisa do CNPq – nível 2. É autora do Livro: Formação de professores na cultura digital: aprendizagens do adulto, educação aberta, emoções e docências, publicado pela Editora da UFBA em 2021, com a versão em E-Book aberta no site da editora. E-mail: adriana.bruno@unirio.br ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5646-8919


Aline Carmo

Aline Cristina Oliveira do Carmo é doutora em filosofia pela UERJ, professora da mesma disciplina na rede federal de educação e pesquisadora, com especial interesse nos estudos sobre filosofias africanas e afrodiaspóricas, quilombismo, descolonização e educação Acesse o lattes competo: http://lattes.cnpq.br/4914022829287815.


Allan Alves Rodrigues

Meu nome é Allan Alves Rodrigues, 23 anos, sou de Duque de Caxias – RJ. Designer autodidata atualmente ocupando a equipe de Design de Serviços na Gerência de Análises, Diagnósticos e Geoprocessamento do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Graduando em Sociologia pela Universidade Federal Fluminense, integro o grupo de pesquisa Data_PS (Pensamento social em dados), em parceria com a UFRJ. Minha atual pesquisa investiga como as ideias circulam e podem ser ressignificadas, a partir da reflexibilidade social, focando no pensamento conservador em verbetes da Wikipédia brasileira via análise de redes. Prêmio UFF Vasconcelos Torres de Ciência e Tecnologia | 1º Lugar Ciências Humanas.

Curriculo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4754235312346238 | LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/allan-rodrigues-815053137


Bruno Caldas Vianna

Bruno Caldas Vianna mora em Barcelona. Ele faz doutorado em artes visuais e inteligência artificial, na Uniarts Helsinki, e é diretor do Mestrado em Computação Criativa na Universidade Elisava, em Barcelona. É formado em Cinema pela UFF, e mestre pela NYU. Cria narrativas visuais em suportes inovadores e tradicionais, tendo feito curtas e longas metragens, live cinema, realidade aumentada, aplicações móveis e instalações. Foi residente no Hangar, Barcelona, em 2008; La Chambre Blanche de Quebec e Battlesea Arts Centre de Londres, entre outros. Entre 2011 e 2016, dirigiu o Nuvem, espaço rural dedicado à arte e tecnologia em Brasil. De 2012 a 2018 lecionou na Oi Kabum, no Rio de Janeiro.

http://brunocaldasvianna.com/


Charles Feitosa

Obteve graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), doutorado em Filosofia na Albert-Ludwigs Universität Freiburg / Alemanha (1995), pós-doutorado em Filosofia pela Universidade de Potsdam-Alemanha (2007) e pela Universidade de Paris VIII/França (2013). Atualmente é professor e pesquisador no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Coordenador do POP-LAB (Laboratório de Estudos em Filosofia Pop), co-organizador do HDRIO (Congresso Internacional em Humanidades Digitais). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Estética moderna e contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: corpo, voz, imagem, performance, pedagogia, cultura brasileira, cultura pop e tecnologias digitais.


Guilherme Soares

Professor Assistente A no Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias (CECULT), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Guilherme Soares, também conhecido por Glerm Soares, é artista da eletrônica e computação, desenhista sonoro e programador-pesquisador.

https://glerm.net/


Naagma Timakondu

Naagma Timakondu é mestranda na Universidade do Texas no programa Applied Cognition & Neuroscience de Dallas, especializado em Interação Humano-Computador e Modelagem Computacional. Após se graduar em Ciências Cognitivas na Universidade de Connecticut, ela trabalhou na IBM por 4 anos, no início como desenvolvedora e por fim trabalhando no Tech Ethics Project Office. Seus interesses atuais estão em entender como usar os insights da pesquisa da ciência cognitiva e da ciência comportamental para orientar o design e o desenvolvimento de tecnologia alinhada a valores éticos e éticos.


Ricardo O’Nascimento

Ricardo O’Nascimento é designer e investiga as relações corpo-ambiente com foco no desenvolvimento de interfaces para dispositivos portáteis, instalações interativas e ambientes híbridos. Propõe uma abordagem não-disciplinar para criar novos meios de comunicação entre seres vivos e experiências eletrônicas e digitais que desafiem e melhorem a percepção humana.

É formado pela PUC – SP, SENAC – SP e pela Faculdade de Letras e Desenho Industrial de Linz no Departamento de Cultura da Interface na Áustria. Doutor  em Electronic Textiles pela Loughborough University, Inglaterra. Atualmente é pesquisador Pósdoc na Royal College of Arts de Londres.

http://www.onascimento.com/


Roger Malina

Roger Malina é físico formado pelo Massachusetts Institute of Technology e doutor em Astronomia pela Universidade da Califórnia, Berkeley. Editor executivo da revista Leonardo MIT, e da Sociedade Internacional de Artes, Ciências e Tecnologia. Professor multidisciplinar na Universidade do Texas em Dallas, é editor nos novos campos de pesquisa emergentes que conectam as ciências e a engenharia às artes, design e humanidades.  Fundou e faz parte do conselho de duas organizações sem fins lucrativos, ISAST em San Francisco e Olats em Paris, que defendem e documentam o trabalho de artistas envolvidos em ciência e tecnologia contemporâneas.

https://artscilab.utdallas.edu


Silvana Bahia

Mestra em Cultura e Territorialidades pela Universidade Federal Fluminense. É pesquisadora associada do grupo de Arte e Inteligência Artificial da Universidade de São Paulo (USP) e do grupo de pesquisa em Políticas e Economia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Possui graduação em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Candido Mendes, UCAM.

Atualmente é codiretora executiva do Olabi, organização social focada em inovação social, tecnologia e diversidade. E idealizadora do PretaLab, iniciativa que estimula a inclusão de mulheres negras e indígenas no universo das tecnologias.

https://www.pretalab.com/rede/silvana-bahia


Silvana de Souza Ramos

Possui graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado pela Universidade de São Paulo. Fez doutorado-sanduiche na Université Paris I – Panthéon/Sorbonne (2008-2009), sob supervisão de Renaud barbaras. Fez estágio como Visiting Professor na Università Ca’Foscari (2017), onde lecionou sobre o tema do totalitarismo. Desde 2014, é docente do Departamento de Filosofia da USP; desde 2018, Livre Docente. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética e Filosofia Política, em Filosofia Francesa Contemporânea e estuda intersecções entre filosofia e imagem. Dirige o Grupo de Estudos de Política e Subjetividades (DF/USP), do qual participam seus orientandos de graduação e de pós-graduação. É editora dos Cadernos Espinosanos (USP) e membro do corpo editorial de diversas revistas na área. É também membro dos seguintes Grupos de Trabalho da Anpof: GT Filosofia Francesa Contemporânea e GT Filosofia e Gênero, e uma das administradoras da Rede Brasileira de Mulheres Filósofas. Participa ativamente do International Merleau-Ponty Circle. Atualmente estuda a obra de Gilda de Mello e Souza, filósofa e crítica de arte brasileira, e prepara um filme sobre a obra das filósofas no Brasil.

https://www.pretalab.com/rede/silvana-bahia


Tarliz Liao

Pós-doutor em Tecnologias Digitais e Formação Docente pelo PPGAV/UFRGS (2021) Doutor em Educação na linha de Educação Matemática (2014, UFES). Líder do GEPETEC UNIRIO – Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino, Tecnologias Digitais e Formação Docente. Pesquisador e Professor Adjunto C3 no Departamento de Didatica da Unirio (mar 19) Professor Permamente do PPCTE/ CEFET RJ, colaborador no NIDES UFRJ e no programa de Pós-graduação em Inovação e Tecnologias na Educação da UTFPR. Vencedor por duas edições das Olimpíadas de Jogos Digitais da Educação -Seeduc/RJ. Foi Pesquisador e Professor Adjunto do Departamento Interdisciplinar da UFRGS (2015 -2019). Atuou como professor de Ensino Fundamental e Médio nas redes públicas do RJ. Tem larga experiência na área de Ensino de Matemática e pesquisa sobre Tecnologias Digitais.


Jader Gama

Jader Gama – Coordenador de TICs da Casa Preta Amazônia organização que atua nas áreas de tecnologias e ancestralidade. Responsável pela plataforma de participação popular Plantaformas Amazônicas

Jader Gama também é Diretor de Inovação e Negócios da empresa Nômade Tecnologias. Atuando no desenvolvimento e manutenção de plataformas de apoio ao ensino remoto, organização da informação e participação social. Empresa responsável pela transferência de tecnologia que resultou na maior experiência de participação social do governo federal através da plataforma Brasil Participativo.


Tay Puri

Tay Puri, contadora de histórias e artista multidisciplinar, une ancestralidade e inovação através das artes, cinema e literatura, navegando por tecnologias emergentes como Web-3, NFTs e IAs. Graduada em Cinema pela FAP (2017) e mestre em Literatura pela UFPR (2019), onde investigou o RPG de mesa como manifestação artística contemporânea e arquetípica. 

Desde 2015, Tay se envolveu ativamente com a educação libertária, colaborando em diversos movimentos e espaços. Tay se dedica a criar novas realidades e questionar as fronteiras e os paradigmas, priorizando sempre a amplificação de vozes, expressões e saberes marginalizados.


Parcerias

Filosofia Pop (Laboratório de Estudos em Filosofia Pop)

Esse laboratório é uma oportunidade para desenvolver os princípios de uma “filosofia pop”, tais como estabelecidos no ensaio-manifesto “Por uma Filosofia Pop” (Charles Feitosa, in: Nietzsche e Deleuze, Rio de Janeiro, Relume Dumará, 2001). No referido artigo propõe-se por colocar em relação constante a filosofia com a não-filosofia, deixando assim que diferentes saberes ressoem entre si.  A filosofia pop se interessa pelas relações entre as artes, as tecnologias digitais e a filosofia. Não há nenhum privilégio de uma destas disciplinas em relação à outra. Arte, ciência e filosofia são respectivamente formas de criação de funções, de agregados sensíveis, de conceitos. Essa busca de aliança com outros discursos vai no movimento contrário da “metafísica da pureza”, que divulga uma imagem homogênea do pensamento. Especialmente em relação às obras de arte (poesias, pinturas, filmes, videogames, etc…), a proposta da “filosofia pop” é não as usar apenas como ilustração ou comprovação do discurso filosófico. Esse tipo de atestação é apenas uma tentativa de fazer com que a arte trabalhe para a racionalidade, mas não representa um verdadeiro contágio de discursos. Trata-se de algo diferente. A filosofia pop cria seus conceitos como dobras, para além da oposição e a hierarquia entre profundidade e superfície, assim como no surfe a onda é explorada como um tubo; um dentro que não é interior, um fora não é exterior.

https://www.facebook.com/poplabfil/